Nove verdades e uma mentira sobre o liberalismo

Com notórios inimigos tanto na direita quanto na esquerda, o liberalismo virou quase sinônimo de xingamento na área política e também para aqueles que acreditam que a economia é um grande jogo de tabuleiro onde para “eu” ganhar, “você” precisa perder. Nada mais falso, e é por isso que vou falar alguns fatos sobre o liberalismo utilizando um jogo muito popular nas redes sociais nas últimas semanas. Abaixo apresento 9 fatos verdadeiros e uma mentira, você consegue adivinhar qual é o falso?

Fato 1:

O liberalismo foi o responsável pela crescente queda da pobreza no mundo. Hoje, apenas 10% da população mundial está abaixo da linha da pobreza, esse número nunca foi tão baixo. Provavelmente, veremos a extinção da miséria em nosso planeta nos próximos 50 a 100 anos.

Fato 2:

Os liberais não ligam muito para a desigualdade, sabemos que os indivíduos nascem diferentes e aceitamos isso. Nosso verdadeiro inimigo é a pobreza e a violência contra pessoas pacíficas.

Leia também:  A imoralidade ideológica

Fato 3:

Hitler e Mussolini eram liberais, mesmo que em vários discursos tenham dito que o liberalismo era o verdadeiro inimigo deles, não o socialismo. Os pactos de amizade com a União Soviética, o controle de preços, a violência política e o altíssimo controle da propriedade privada são meros detalhes.

Fato 4:

Israel, Suécia, Japão, Finlândia e Chile não produzem petróleo ou tem uma produção muito pequena. Graças ao livre mercado, conseguiram se especializar em outras atividades e trocam esses produtos com outros países que são bons em produzir petróleo.

Fato 5:

Os pobres de países mais livres tem uma qualidade de vida igual ou superior aos ricos de países menos livres.

Fato 6:

Apesar de aprendermos na escola que o liberalismo foi fundado na revolução industrial, a República Helvética, também conhecida como Suíça, foi fundada em 1291 com um documento que já declarava um forte federalismo, a democracia direta sem invasão dos indivíduos que se opunham à decisão e a neutralidade.

Leia também:  Os sindicatos e as agências de emprego

Fato 7:

A cultura é importante, mas incentivos institucionais são mais. Países com culturas muito diferentes, mas que estabeleceram fortes incentivos liberais tiveram resultados muito semelhantes. A Península da Coreia é o melhor exemplo disso.

Fato 8:

Liberais costumam tratar as grandes corporações com desconfiança. Sabemos que muitas tendem a se juntar com o governo para prejudicar indivíduos. O Estado pode criar barreiras de entrada para a concorrência, por exemplo.

Fato 9:

Muitas pautas que hoje são bandeiras da esquerda, como por exemplo feminismo, extinção da escravidão, liberdade de religião, diretos humanos e liberação das drogas foram iniciadas por liberais. No entanto, no século XX, quase todos os governos do mundo passaram a interferir muito nas relações comerciais, fazendo com que os liberais passassem a atacar essas intervenções e abrindo espaço para a esquerda levantar essas bandeiras.

Leia também:  A reação versus o Establishment: Bolsonaro versus Haddad

Fato 10:

O orador irlandês John Philpot Curran e Thomas Jefferson diziam que o preço da liberdade é a eterna vigilância. Os liberais acreditam que a vigilância de quem está no poder é necessária para não cairmos em sistemas totalitários.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!