Prosperidade e respeito à propriedade intelectual

Em Caracas, onde Marx, Lenin, Fidel, Lula e Chávez são referências para o governo tirânico de Nicolás Maduro, jovens agem como zumbis movidos pelo desespero dos famintos sem perspectivas de superar a falta de oportunidades, consequência direta do socialismo bolivariano que se alastrou pela América Latina. Esse é o regime que recebe apoio de partidos políticos como o PT, PSOL, PCdoB, PDT, PSB e outras entidades que defendem o conflito de classes. São todos facínoras e a sociedade civilizada é sua vítima.

A humanidade é capaz de promover a abundância ou a escassez. Tudo depende do sistema político sob o qual ela vive.

Onde há liberdade e respeito à propriedade privada, haverá abundância de tudo, desde coisas abstratas como oportunidade, justiça e felicidade até coisas concretas como comida, vestuário, habitação, bens e serviços de qualquer natureza.

Leia também:  A ascensão de Bolsonaro incomoda a esquerda & Cia

Onde não há liberdade nem respeito à propriedade privada, haverá escassez de comida, vestuário ou qualquer outra coisa que o ser humano precisa para suplantar os desafios da existência, inclusive os valores abstratos, oportunidade, justiça e felicidade.

Karl Marx nunca conseguiu entender essa relação causal entre propriedade privada e a geração de abundância. Mas isso não é uma dificuldade apenas dele, há hoje em dia os que não  enxergam relação causal entre a propriedade intelectual e a abundância na oferta de ideias que se transformam em bens e serviços para melhorar a vida das pessoas. Seja na indústria farmacêutica ou de informática, de entretenimento ou literária, ou em qualquer outra em que a imaginação faz a diferença, é visível a elevação de produção e produtividade quando há respeito à propriedade intelectual.

Um simples medicamento ou um smartphone contém inúmeras patentes que representam o trabalho intelectual de incontáveis mentes, interagindo através de processos competitivos ou cooperativos para oferecer mais valor com menor custo.

O ser humano sabe que só pode existir, se manter e prosperar se for livre e independente para criar valor para si e para os demais. Criando valor para si ele subsiste, criando valor para os demais ele cria a oportunidade de prosperar e enriquecer.

Quem imaginava ser possível que alguém pudesse criar valor para os demais, mesmo quando essa inciativa não levasse ao lucro pessoal foi Karl Marx. Aqueles que são contra a propriedade intelectual estão em péssima companhia.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Leia também:  Não vote em candidato que já exerceu mandato ou que tenha sido cassado