Para Manuela D’Ávila o desenvolvimento americano ocorreu por causa do Estado

A comunista Manuela D’Ávila tentou, num videozinho patético que já teve meio milhão de views, transformar os Estados Unidos numa União Soviética dizendo que o desenvolvimento americano ocorreu por causa do Estado.

Posso dar a ela o benefício da dúvida, afirmando que ela não entendeu nada. Nos EUA, o Estado foi instituído lá no século XVIII, a partir da sua constituição, para garantir os direitos das pessoas de viverem as suas vidas em paz. Com isso, nos EUA houve um boom de riqueza nunca antes visto na história, que se deu durante um período de pouco mais de um século.

A partir do final do século XIX, o governo americano resolveu ser “progressista” adotando medidas intervencionistas, relativizando, regulando e taxando em demasia a iniciativa e a propriedade privadas. Os americanos perceberam uma redução em seu crescimento e passaram a enfrentar crises econômicas causadas pelo próprio governo.

O que a Manuela parece ignorar é que a União Soviética colapsou por causa do seu governo e do sistema político e econômico que ela defende, o comunismo. Já os EUA se tornaram uma potência, apesar, repito, da interferência governamental nos negócios e na vida das pessoas.

Os EUA nos seus primeiros 120 anos de existência era uma república constitucional onde o capitalismo laissez faire permitiu que uma sociedade agrária se transformasse nesse gigante. Infelizmente, desde a virada do século XIX para o século XX a social-democracia passou a exercer influência na vida dos americanos.

Manuela D’Ávila deveria saber que nos EUA uma das poucas indústrias que não sofre demasiadamente com a regulação é a de informática. Por isso, o avanço nessa área é gigantesco. O desenvolvimento tecnológico americano existe por conta de jovens ousados, geniais, que abandonam as faculdade de ponta no meio de seus cursos, para criar maravilhas no fundo das suas garagens em bairros residenciais.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Leia também:  Precisamos com urgência de um projeto de lei para tipificar o crime de furto de identidade virtual