Não é a fome que mata os venezuelanos, é o velho socialismo do século XIX

Acabem com o socialismo e tudo volta ao normal na Venezuela. O que é o normal? É as pessoas estarem desimpedidas para criarem aquilo que fará sua vida melhor.

A Venezuela não vive uma crise, isso é o que a mídia quer que você acredite. A Venezuela vive o mais deletério sistema político-econômico que existe: o socialismo.

Socialismo é, ele próprio, um ataque contra a sociedade iniciado pelos que detêm o poder coercitivo do governo nas suas mãos.

São os governantes que impedem as pessoas de usufruírem seu direito de criarem o que lhes trará a felicidade. São os governantes que tiram o produto criado da mão de seus criadores, sem a devida compensação.

Leia também:  Bolsonaro é o que é

Mesmo se os governantes pagassem pelo que tiram, para pagá-los teriam que tirar necessariamente de outros, sempre com o uso da coerção, já que não produzem nada.

Maduro, como todos os que o antecederam na defesa deste sistema nefasto, é um criminoso, responsável pela dor, sofrimento e morte de cada venezuelano, criança, jovem ou adulto submetido ao socialismo.

Lula, Dilma, Marco Aurélio Garcia, Celso Amorim, Paulo Pimenta, Fernando Haddad, Luciana Genro, Manuela D’Avila, os irmãos Castro e todos os socialistas que se solidarizaram com os governantes venezuelanos não deixam de ser seus cúmplices.

Leia também:  Uma das facetas do coletivismo é a morte da responsabilidade pessoal
Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!