Como a educação infantil pode ajudar a mudar o país?

A Importância da Educação Infantil no Desenvolvimento Humano A infância é uma das fases mais importantes no desenvolvimento do indivíduo, tanto no âmbito físico quanto no psicológico. Especialistas afirmam que até os 6 anos são estabelecidas todas as bases para competências e habilidades do ser humano, portanto, é nessa fase em que se estabelece o […]

A Importância da Educação Infantil no Desenvolvimento Humano
A infância é uma das fases mais importantes no desenvolvimento do indivíduo, tanto no âmbito físico quanto no psicológico. Especialistas afirmam que até os 6 anos são estabelecidas todas as bases para competências e habilidades do ser humano, portanto, é nessa fase em que se estabelece o desenvolvimento cognitivo através do qual a criança estabelecerá seu alicerce de aprendizagem.

Os primeiros contatos com a sociedade são dados através da instituição escolar, onde a criança começa a ter noções de convívio em sociedade e compreende a importância do outro para seu próprio desenvolvimento intelectual. Na escola também são aplicados conceitos de hierarquia, relações sociais e afetivas e são estipuladas regras de convívio. É no ambiente escolar em que as crianças têm sua primeira experiência emulada de sociedade.

Estímulos Cognitivos e Formação Critico-Reflexiva
Muitos adultos subestimam a capacidade de aprendizado infantil e acreditam que a escola é um ambiente de distração e cuidados, no entanto, é nesse ambiente controlado em que a criança deve ser estimulada a se desenvolver. As atividades, mesmo que simplórias, como brincar de casinha ou brincadeiras de roda acabam por fornecer estímulos cognitivos que auxiliam na formação de cada indivíduo. Por trás de toda atividade há um intuito psicopedagógico, principalmente quando falamos de crianças em período de alto desenvolvimento, como citado anteriormente.

Desde a leitura de histórias até a participação ativa das crianças em sala é possível detectar traços de formação da criticidade individual e bases de suas personalidades. Cabe ao profissional responsável trabalhar a individualidade de cada um em prol do coletivo, estabelecendo um ambiente agradável e ao mesmo tempo desafiador por suas diferenças. As crianças que tem contato com aquilo que não faz parte de sua realidade tendem a desenvolver pensamentos complexos sobre a sociedade.

Trabalhar o senso crítico durante a infância faz com que as crianças tenham com hábito a reflexão sobre aquilo que lhes é colocado. O estudo da filosofia, por exemplo, pode ser inserido desde os primeiros anos escolares, trabalhando conceitos como a ética, a verdade e a necessidade de regras na sociedade. Enquanto estão em desenvolvimento, as crianças absorvem muito mais conhecimento, portanto, quanto mais incentivo houver por parte da instituição escolar e até mesmo da família, maior será a evolução cognitiva psicossocial da criança.

Reflexos Sociais em Longo Prazo
Países liberais como a Suíça entendem a educação infantil como um investimento socioeconômico e por isso prezam pelo ensino de qualidade. Como consequência direta, o país usufrui de uma população crítica e seletiva, que sabe investir e que preza pelos valores transmitidos ao longo dos anos. Os países nórdicos são grandes exemplos para quem busca compreender as vantagens de investir desde cedo na educação infantil para cidadãos melhores.

Em longo prazo isso interfere diretamente no país e no mundo, pois uma vez que as crianças são ensinadas a pensar, não aceitam verdades genéricas nem situações que são colocadas como forma de manipulação. Uma criança crítica se torna um adulto sábio e preparado para lidar com as situações adversas colocadas pela vida social. Durante uma eleição, por exemplo, esse adulto votará apenas em quem atender os padrões éticos e de verdade que lhe foram ensinados quando pequeno, não aceitando corrupções ou desvios de conduta. Em países liberais a escolha racional já está intrínseca em seus habitantes, uma vez que ao longo de todo o processo educativo as crianças foram orientadas a trabalhar o senso crítico e analisar informações relevantes antes de escolheres seus representantes políticos.

Essa atitude tende a se alastrar por toda a vida dessa nova geração de cidadãos críticos e exigentes, que buscam se tornar indivíduos melhores diariamente e assim aplicar tais melhorias em seu trabalho, família, bairro e, em larga escala, em seu país. Afinal, a educação é a base para a formação de todos os indivíduos, quando a mesma é trabalhada de forma séria e com engajamento, o resultado é uma geração pessoas dispostas a tornar seu país um lugar justo e produtivo, melhorando sua economia e proporcionando um ambiente muito mais agradável de se viver.

*Artigo escrito por Sandra Luthemburg.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal e Instituto Liberal no Patreon!