fbpx

A verdade sobre as relações internacionais do Brasil

“Temos um presidente que virou as costas para o mundo, nos tornou pária internacional, não só pela questão ambiental, mas por se apresentar sempre do lado errado da história, confrontando inclusive nossos parceiros comerciais”, disse Simone Tebet, em entrevista a William Waack, na CNN.

Afirmações como esta, em que o país é colocado como “pária internacional”, entopem a mídia desde, pelo menos, junho de 2020. Há um verdadeiro “consenso” midiático (deem uma pesquisada no Google e comprovem) a respeito. É óbvio que as famigeradas agências de checagem não se dignaram a fazer o seu trabalho em relação a isso. Aceitam tais “verdades” como incontestáveis. Mas será que é isso mesmo?

Não é o que dizem os dados:

1. O Brasil foi o 4º maior destino de investimento estrangeiro direto (IED) em 2021, segundo a OCDE.

2. O Brasil foi o maior destino de investimento estrangeiro direto (IED) como proporção do PIB em 2021, consideradas as 15 maiores economias do ranking do Banco Mundial.

3. A OCDE formalizou o processo de acessão do Brasil à Organização em 2022.

4. De 2019 a 2022, Brasil conclui 15 acordos de comércio internacional.

5. Em 2019, o Brasil liderou a conclusão do acordo Mercosul-União Europeia, maior tratado entre blocos econômicos da história do comércio internacional.

6. Em 2019, o Brasil liderou a conclusão do acordo Mercosul-EFTA, a área de livre comércio que reúne os países mais ricos da Europa fora da zona do euro.

7. De 2018 a 2021, o Brasil é a economia dentre os países do G20 que mais aumentou a participação do comércio exterior (exportações + importações) como percentual do PIB.

8. Em 2021, o comércio exterior brasileiro atingiu recorde sobre PIB. A soma de exportações e importações chegou a 39% do PIB, maior patamar da série histórica iniciada pelo Banco Mundial em 1960.

9. Em 2021, a corrente de comércio brasileira (exportações + importações) foi de meio trilhão de dólares*. Recorde histórico.

10. Em 2021, as exportações brasileiras foram de US$ 280,4 bilhões. Recorde histórico.

11. Em 2021, o superavit comercial brasileiro* (exportações – importações) foi de US$ 61 bilhões. Recorde histórico.

12. De janeiro a agosto de 2022, as exportações brasileiras somaram US$ 225,1 bilhões, recorde histórico para o período.

13. De janeiro a agosto de 2002, a corrente de comércio exterior (exportações + importações) é de US$ 407 bilhões, recorde histórico para o período.

14. Nos últimos 3 anos e meio o Brasil obteve superavit comercial com a China superior ao acumulado durante os 16 anos de governos anteriores._

15. Comparado com os números de 2018, em 2021 o Brasil teve crescimento em sua corrente comercial com União Europeia, EUA, países da ASEAN e do Oriente Médio.

16. Na comparação entre janeiro-agosto de 2022/2021, dos 20 principais destinos de exportação do Brasil, houve crescimento nas transações para 19, sendo que 17 tiveram crescimento de dois dígitos.

17. Superávit comercial médio mensal nos governos brasileiros de 2003-2018 foi de US$ 2,28 bilhões. Superávit comercial médio mensal de janeiro de 2019 a julho de 2022: US$ 4,35 bilhões.

18. De janeiro de 2019 a agosto de 2022, o superávit comercial acumulado do Brasil chegou a US$ 191 bilhões. O valor é equivalente a R$ 1 trilhão.

Dados compilados a partir de estatísticas da OCDE, Banco Mundial e Ministério da Economia do Brasil.

João Luiz Mauad

João Luiz Mauad

João Luiz Mauad é administrador de empresas formado pela FGV-RJ, profissional liberal (consultor de empresas) e diretor do Instituto Liberal. Escreve para vários periódicos como os jornais O Globo, Zero Hora e Gazeta do Povo.

Deixe uma resposta