Diferenças entre Esquerda e Direita

esquerda x direita

Devemos reconhecer que todos esses anos de PT na presidência deixarão pelo menos um bom legado ao Brasil: uma melhor compreensão sobre esquerda e direita, desfazendo a ilusão de que o primeiro grupo é composto por anjinhos altruístas e destruindo o estereótipo de que o segundo se resume a conservadores intolerantes. Existem os liberais! Existem os libertários! Agora e cada vez mais, o cidadão comum vem procurando saber sobre liberdade individual e econômica. Livros são cada vez mais comprados. Artigos são cada vez mais lidos. Eventos contam com cada vez mais participantes.

Pela primeira vez a sociedade brasileira está enxergando o que a história do século XX já comprovou: O socialismo não se sustenta fora dos livros, dos palanques e das conversas de bar. Agora a sociedade brasileira enxerga o método socialista de manipulação social baseado na incitação ao racismo, ao feminismo, ao gayzismo, à luta de classes e a todo tipo de vitimismo; e também seu método de manutenção do poder baseado na utilização de dinheiro público para distribuir moedas aos pobres e montanhas de dinheiro para militantes nas representações sociais, na imprensa, nas universidades e no meio cultural.

Graças ao Partido dos Trabalhadores, a sociedade agora enxerga também a diferença entre a corrupção da direita em relação à corrupção da esquerda: a primeira organizada por pessoas para o enriquecimento de pessoas; a segunda organizada por partidos, para se preservarem no poder. Corrupção privada X corrupção institucional.

Leia também:  Homenagens a Marighella: cumplicidade esquerdista com a tortura e com o assassinato

Obrigado Lula!

Obrigado Dilma!

Obrigado PT!

Mas há outra e fundamental diferença: a militância.

Poucos dias depois de milhões de cidadãos de todo o país terem ido às ruas protestar contra os absurdos do atual governo, pequenos grupos foram às ruas manifestar seu apoio a este mesmo governo.

Uma pergunta:

Quem foi às ruas se manifestar em apoio a Fernando Collor? Ninguém. Ninguém porque nem ele nem seu partido contavam com militância, afinal, Collor era visto como representante da direita.

Collor foi eleito democraticamente, mas a insatisfação popular o tirou do poder. Simples assim. Porém, tal simplicidade se transforma num complexo e desgastante processo quando o dono do poder é um representante da extrema-esquerda.

Nicolas Maduro só se mantém governando porque conta com um verdadeiro exército de militantes defendendo-o.

Vagner Freitas é o legítimo presidente da CUT, foi eleito para o cargo, mas tenho certeza de que a maioria dos milhões de trabalhadores que ele legalmente representa não concorda com sua promessa de promover um levante armado para defender o governo. Não importa. Ele se sente com poder bastante para dizer que mandará todos à luta. Foi assim, exatamente assim, que todas as guerras, que todos os massacres, que todas as perseguições, que todas as ondas de intolerância, que todas as revoluções socialistas começaram – discursos de alguns em nome de todos.

Leia também:  Entenda por que o ICMS por Substituição Tributária é uma tirania deplorável

Tenho certeza também de que a grande maioria dos trabalhadores representados pelas centrais sindicais não concorda que parte de seus salários seja utilizada para pagar material de propaganda, carros de som, transporte, alimentação, uniforme e o cachê de um bando de vagabundos que param a cidade para defender um governo indefensável.

A partir dessa certeza, vejamos Lula e Dilma. Ambos foram legitimamente eleitos, mas a maioria da população brasileira nunca concordou que bilhões de reais fossem usados para financiar ditaduras como a cubana e a venezuelana. Aos dois, nunca importou a opinião da sociedade. Eleitos legitimamente, se sentiram com direitos e poderes suficientes para gastar o dinheiro público como queriam.

A verdade: todos nós somos coagidos a aceitar os absurdos da esquerda em respeito ao ambiente democrático.

Sob o manto da liberdade de expressão, a extrema-esquerda se sente no direito de parar avenidas importantes para que seus militantes manifestem apoio a um governo absurdo sob todos os pontos de vista.

Sob o manto do princípio democrático, a extrema-esquerda se sente com moral suficiente para dizer que os milhões de cidadãos que foram às ruas protestar num domingo à tarde são golpistas inescrupulosos, assim como os 92% dos brasileiros que não aprovam o atual governo.

Leia também:  A pena de Lula começa somente agora: terá que trabalhar!

Mesmo que o número de participantes dos protestos de ontem tenha sido uma mera fração do registrado no domingo, uma verdade foi mais uma vez evidenciada: todas as manifestações da extrema-esquerda se balizam em interesses políticos e ideológicos, não em princípios de liberdade, de satisfação popular, de competência ou de ética. Todos os que hoje defendem o governo estariam protestando contra, caso ele fosse ocupado por alguém não alinhado à extrema-esquerda.

Que a sociedade entenda: direita e esquerda são preenchidas por seres humanos propensos a todos os tipos de desvios, mas a estrutura da esquerda sustenta-se numa rede de autopreservação por meio do financiamento de sua militância, algo com que a direita não conta.

A mesma verdade: uma sociedade insatisfeita com um governo de esquerda precisa lutar não apenas contra esse governo, mas também contra um exército de militantes.

Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
João Cesar de Melo

João Cesar de Melo

É arquiteto e artista plástico.