fbpx

Você acha que a China é comunista?

A gangue de Pequim que anda dando sumiço nos bilionários chineses não tem nada a ver com aquela da década de 70 que comandou a China no final da Revolução Cultural.

Aquela era tosca, tinha um apreço especial pelo comunismo; esta é mais sofisticada, tem um apreço especial pelo fascismo.

Sim, há diferenças fundamentais entre esses dois sistemas coletivistas, sendo o comunismo muitas vezes pior do que o fascismo – o que não faz deste algo desejável como o capitalismo laissez-faire.

Muita gente usa, indevidamente, por se tratar de uma contradição nos termos, a expressão “capitalismo de estado” para se referir aos regimes fascistas.

Ora, onde há capitalismo de fato, deve existir livre iniciativa, propriedade privada, estado de direito baseado em leis objetivas e respeito absoluto pelos direitos individuais, o que resulta no livre mercado.

O capitalismo de verdade se caracteriza pela separação entre governo e economia, o que inclui todas as atividades produtivas, incluindo aí as ligadas à saúde, previdência e educação.

No capitalismo, cabe ao governo apenas extrair do contexto social a violência contida nas ações coercitivas caracterizadas pela iniciação do uso da força e de fraude. Cabe ao governo apenas prover segurança e justiça financiadas voluntariamente por quem se interessar por elas.

A China não é capitalista – há intervenção do estado, como podemos ver nesses casos em que bilionários somem ou são mortos. Há inúmeras empresas estatais e o governo não se exime de propor e impor políticas que violam direitos individuais.

A China também não é comunista, como o simples fato de haver bilionários prova, pois eles são resultado exatamente daquilo que o comunismo combate: a existência da iniciativa e da propriedade privada.

A China é uma economia mista, como mista é a maioria dos países na atualidade. Uns com mais estatismo, outros com menos; uns com mais regulação e outros com menos; uns com mais taxação e outros com menos.

Economias mistas tendem a adotar uma feição fascista, com iniciativa e propriedade privada controladas e exploradas por forte regulação e taxação.

É isso que ocorre também na China, porém sem o sindicalismo tão nefasto que se vê nos países ocidentais.

O Brasil mesmo sendo, ou porque é, democrático, é muito mais socialista que a China. A diferença é que, se o Brasil é autoritário em muitos aspectos, a China tem posições totalitárias, onde coisas como devido processo legal e direitos individuais são completamente ignoradas em muitos casos.

Quem diz que a China é comunista depois de eles terem tirado 1 bilhão de pessoas da miséria em menos de quatro décadas e terem formado o maior número de bilionários no mundo deve estar querendo promover o comunismo.

Quem diz que a China é comunista ou não sabe o que está dizendo, ou está querendo dar razão a comunistas como a Manuela, quando ela diz que quer construir um novo tipo de comunismo.

Se você acha que a China é comunista, junte-se ao PCdoB, que eu tenho certeza de que serás bem-vindo.

Roberto Rachewsky

Roberto Rachewsky

Empresário e articulista.