Razão acima de tudo e liberdade acima de todos

“Brasil acima de tudo, Deus acima de todos” é um slogan motivacional, não é uma receita.

Razão acima de tudo e liberdade acima de todos é receita e não slogan.

Amyr Klink nunca entrou numa aventura onde a sua vida fosse colocada nas mãos de Deus ou à mercê do voto popular.

Amyr Klink atravessou o Atlântico num barco a remo sabendo como, onde e quando iria chegar.

Ele estudou as leis da natureza, encontrou a ordem e a lógica intrínsecas ao seu funcionamento.

Adquirindo o conhecimento necessário, tomou a liberdade de estabelecer os princípios, os valores e o ponto ideal do seu destino, dando início a mais uma viagem da sua vida.

Leia também:  A greve dos caminhoneiros e os liberais de ocasião

Bolsonaro começa seu governo no dia primeiro de janeiro. Ele pode ser um expedicionário cientista como Amir Klink ou mais um simples aventureiro como tantos que o antecederam.

Cientistas, filósofos, juristas, políticos e economistas liberais já sabem que sem usarmos a razão não se adquire conhecimento.

Sabe-se também que de nada adianta ter adquirido conhecimento, se não dispomos da liberdade necessária para transformá-lo em feitos.

Amyr Klink obedeceu à natureza e assim conseguiu comandá-la.

O ser humano é racional e precisa de liberdade para criar valor e prosperar.

Leia também:  Afinal, o que a nova direita deve a Olavo de Carvalho?

Quem quiser comandar a sociedade, deverá obedecer à natureza do ser humano, do indivíduo.

Sem colocar a razão acima de tudo e a liberdade acima de todos, o que poderia ser uma expedição científica para levar o Brasil ao futuro será mais uma aventura mística e populista como as que fizemos no passado sem termos sido convidados.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Leia também:  O cientificismo e a crítica irresponsável de Reinaldo Azevedo a Ricardo Vélez