O governo precisa urgentemente diminuir a regulação e a tributação

Para quem não entende de economia ou finanças públicas e sua relação com o nosso dia-a-dia, pontifico que não tem mágica.

Só há uma solução para esse problema que nos legou a social-democracia: o governo precisa urgentemente diminuir a kafkaniana regulação e a perversa e glutônica tributação se quiser aumentar a própria arrecadação.

O aumento de receitas do governo só ocorrerá como resultado da elevação da produtividade econômica da sociedade, possível e provável apenas com o recuo estatal, o que permitiria que empresários, profissionais liberais e trabalhadores ganhassem mais para criarem o excedente de riqueza necessário a ser transferido para o estado para tapar o rombo do erário.

Leia também:  Extinção da Justiça do Trabalho: custo x benefício

Simplesmente cortar despesas não será suficiente para dar conta desse problema.

Não se alcançarão o desenvolvimento econômico e a equação dos problemas do governo que impedem que isso seja possível, se não for colocado em prática concomitantemente o receituário liberal clássico.

Inclusive, com a iniciativa do governo de desimpedir os brasileiros para empreenderem, criarem, produzirem, trabalharem, transacionarem livremente, talvez os cortes no governo nem precisem ser tão drásticos.

Uma coisa é certa: se o governo mantiver as amarras burocráticas e a tributação irracional como estão, não teremos escapatória.

Leia também:  Um dia de cão para Jair Bolsonaro

Acabaremos sendo afogados de vez pelo governo com mais impostos, mais inflação, mais dívidas, até chegarmos a uma moratória e o colapso.

A palavra fundamental aqui se chama liberdade. Com ela, cria-se um círculo virtuoso. Sem ela, alarga-se o buraco e, em breve, estaremos de novo no fundo do poço.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Leia também:  O equívoco de Olavo de Carvalho e Antonio Gramsci