Médicos cubanos e o SUS: os crimes do PT contra a humanidade

Chávez e Maduro usavam o petróleo venezuelano para sustentar Cuba.

Hoje os venezuelanos morrem com as balas do regime – ou de fome pela escassez forçada como resultado do socialismo do século XXI.

Como não temos petróleo como os venezuelanos, os petistas usaram o que temos de sobra: doentes que esperam ser atendidos pelo SUS.

O SUS, que é um corredor de morte que parece ter sido feito para aliviar o déficit da previdência (as pessoas morrem mais cedo para não dar tempo de se aposentarem), é o exemplo clássico do coletivismo estatista aplicado no Brasil. Há outros, mas esse é o mais icônico porque escraviza ou privilegia todos os que com ele se envolvem.

Leia também:  Uma análise factual sobre Jair Bolsonaro

Os cubanos que vieram para cá não eram escravos coisa nenhuma. Recebiam muito bem pelos padrões de Cuba e ainda podiam aproveitar o Brasil e, quem sabe, se evadir sem precisar enfrentar os tubarões do Caribe.

Ora, um sistema comunista como o SUS requer comunistas de verdade; para isso, os petistas que não gostam de pobre resolveram trazer os cubanos e ainda sustentariam os velhacos tiranos.

Eu tenho pena dos brasileiros sofridos, massa de manobra, sertanejos que votam nos seus algozes. Escravos de verdade éramos nós, idiotas que trabalhávamos para pagar bilhões para essa corja de comunistas que fazem de tudo para botar as mãos em dinheiro.

Leia também:  Análise econômica do Direito e a Escola de Chicago

Inacreditável que os petistas, qualquer petista, não esteja sendo processado por formação de quadrilha. Alguns deveriam ser processados por traição à pátria e por crimes contra a humanidade.

O Partido dos Trabalhadores deveria ser proscrito, Dilma e o médico que foi Ministro da Saúde deveriam ser processados por crime de lesa-pátria.

Eu estou muito indignado!

Indignado como sempre, desde que o mensalão não deu em nada e esses facínoras se consideraram acima da lei e ninguém deu a mínima.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Leia também:  Por que a África está progredindo