Em Cuba não existe Escola Sem Partido, a doutrinação é obrigatória

Em Cuba não existe Escola Sem Partido. A doutrinação não apenas é permitida, como é obrigatória.

Isso significa que as crianças, os jovens e os adultos são todos eles a favor do comunismo e do regime? Óbvio que não. Há algo muito mais forte, muito mais implacável que a doutrinação incessante promovida nas escolas: a realidade objetiva da qual ninguém consegue se evadir e escapar.

A partir dos 10 ou 12 anos, as crianças cubanas começam a se dar conta de que aquilo que ensinam nas escolas não é corroborado pelo que elas vivem no dia-a-dia.

Leia também:  A histórica negligência brasileira ao modal ferroviário

Seus pais, quando questionados, explicam que uma coisa é o que o governo manda as professoras ensinar e outra coisa é a realidade.

A doutrinação não funciona, mesmo onde ela é total. O problema maior da doutrinação é a perda de tempo das crianças apreendendo o que não vai contribuir em nada com suas vidas.

Elas deveriam aprender a lidar com a realidade, a única coisa que consegue superar a doutrinação e subjugar o indivíduo que não tem educação. Aprender a conhecer a realidade para saber lidar com ela é fundamental para uma sociedade prosperar.

É por isso que a doutrinação em Cuba, ou em qualquer lugar do mundo, é nefasta: ela tira o foco das pessoas do essencial processo de conhecer o mundo como ele é para exercermos o direito à liberdade e criarmos os valores que nos farão viver mais e melhor.

Leia também:  50 contas no Twitter para todo liberal seguir
Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!