Por que não um governo financiado voluntariamente?

Verdade 1. É necessário que haja um governo para proteger os direitos individuais contra a violência e para afastar os violentos do convívio social. Verdade 2. Imposto é extorsão ou, em última análise, roubo. Portanto, quando o governo é financiado com o uso da coerção ele viola os direitos individuais que deveria proteger. Como conciliar […]

Verdade 1. É necessário que haja um governo para proteger os direitos individuais contra a violência e para afastar os violentos do convívio social.

Verdade 2. Imposto é extorsão ou, em última análise, roubo. Portanto, quando o governo é financiado com o uso da coerção ele viola os direitos individuais que deveria proteger.

Como conciliar essas duas verdades que se antagonizam sabendo-se que ambas já foram suficientemente demonstradas através da observação da realidade e corroboradas pela lógica?

Simples. Governo financiado voluntariamente.

Os economistas, administradores e juristas deveriam parar de tentar encontrar justificativas para o roubo estatal e deveriam se debruçar em formulações que permitissem que o governo fosse financiado de maneira livre, espontânea e voluntária por quem desejasse usar os seus serviços.

Taxas previstas em contratos, taxas por demanda, planos de proteção, enfim. Há uma infinidade de serviços que o governo pode prestar para colaborar com a iniciativa privada na defesa dos direitos individuais recebendo voluntariamente taxas para cobrir seus custos.

Quando começarem a estudar essa alternativa chegarão à conclusão inevitável de que impostos são um mal desnecessário e que poderiam e deveriam ter sido abolidos há muito tempo.

 

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal e Roberto Rachewsky no Patreon!