fbpx

O que eu penso sobre o governo taxar dividendos

O ministro Paulo Guedes parece estar numa cruzada contra os super ricos – aqueles que criam empresas esperando o retorno do seu capital investido, mas, quando vão colocar a mão no dinheiro para fazerem o que bem entendem, inclusive diversificar investimentos, serão tributados pelo governo.

Não importa se o imposto ocorre antes ou depois: onde ele for aplicado, o grau de imoralidade será o mesmo.

Quem deve decidir onde alocar o seu dinheiro é o seu dono, jamais o governo. A explicação do Paulo Guedes é que, se não houver imposto sobre dividendos, os super ricos não deixarão o dinheiro na empresa, mas gastarão com iates.

Imaginem se o super rico é fabricante de âncoras. Se ele não comprar iates, o super rico dono da fábrica de iates não comprará âncoras e, no final, todos entrarão em decadência ou, então, o dono da fábrica de âncoras comprará o iate na pessoa jurídica.

O que preocupa nessa impostura é, que seja de onde vier o imposto, da empresa ou de seu dono, ele provavelmente servirá para abastecer o fundão dos partidos e os bolsos dos políticos, burocratas e tecnocratas que adoram passear de iate no lago Paranoá, enquanto os super pobres se contentam com o bolsa-família.

Roberto Rachewsky

Roberto Rachewsky

Empresário e articulista.