Existem duas formas de combater a corrupção: nas causas e nas consequências

Nas causas: basta tirar o poder de intervenção do governo na economia e os achacadores perdem força. O resultado será fantástico! Impossibilitados de comprar o poder político, as corporações empresariais e sindicais terão apenas um meio de sustento, a criação de valor para a sociedade. Já os políticos e burocratas, sem poder para criar dificuldades ou privilégios para quem produz e trabalha, acabarão voltando para casa.

Nas consequências: a coisa funciona ao contrário. Quanto maior for a punição, maior será o prêmio cobrado. Maiores serão as barreiras colocadas pelos agentes do estado e maiores serão as propinas pagas pelos interessados. A economia congela e ninguém faz nada sem pagar pedágio.

Leia também:  Série Heróis da Liberdade: Thomas Jefferson

A primeira solução, é a solução Guedes. Tira o peso do estado das costas da sociedade, deixando empreendedores e trabalhadores tomarem a frente com essa coisa chamada livre mercado.

A segunda solução é a do Moro, que quer colocar todo mundo na prisão, com razão.

Numa economia estatizada como a brasileira, a solução Moro é enxugamento de gelo ou congelamento da produção. Ninguém consegue viver e ser feliz com tanta intervenção estatal na atividade econômica.

Não é que o crime compense, o crime é inevitável. Com a legislação que há e a ganância dos políticos e burocratas, todos somos foras-da-lei, ou por não se saber as leis ou por não se pagar o achacador e as coisas não saírem do lugar.

Leia também:  A imprensa no Brasil: em quem acreditar?

Moro e Guedes tem que trabalhar para tirar dos políticos e burocratas o poder de achacar reduzindo a zero a intervenção estatal na economia.

Nunca ninguém resolveu um problema tratando das consequências e deixando as causas para lá.

Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Roberto Rachewsky

Roberto Rachewsky

Empresário e articulista.