Carta aberta ao Bolsonaro (e demais presidenciáveis que não entendem de economia)

Entender ou não de economia é totalmente irrelevante para um presidente.

Na realidade, o que importa para o exercício do cargo nem é estar bem assessorado, mas ter a consciência de que não se deve violar, nem permitir que violem, o direito de propriedade que todos os indivíduos possuem.

Direito de propriedade significa a possibilidade dos indivíduos de agirem livremente para criarem, manterem e disporem dos valores que cada um, à sua maneira, considera essencial para a sua vida e felicidade.

Quem entende isso, poderá encerrar o seu mandato incluindo esse texto no seu discurso de despedida:

Leia também:  O Aborto e a usurpação do poder de legislar pelo STF

“Eu nunca entendi nada de economia. Por isso, não sei como consegui proporcionar tanta prosperidade para o meu país. Fico a imaginar que os resultados foram tão positivos exatamente porque eu nunca entendi de economia, mas sempre soube, que os direitos à liberdade e à propriedade são essenciais para que o homem e a sociedade, da qual ele faz parte, pudessem prosperar.”

Fica a sugestão.

Assinado,

Roberto Rachewsky, um capitalista radical.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Leia também:  Os snipers do governador Witzel, o Estado de Direito e o Império da Lei