Quem Somos

Presidente do Conselho Deliberativo

Presidente do Conselho do Instituto Liberal e membro-fundador do Instituto Millenium (IMIL). Rodrigo Constantino atua no setor financeiro desde 1997. Formado em Economia pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ), com MBA de Finanças pelo IBMEC. Constantino foi colunista da Veja e é colunista de importantes meios de comunicação brasileiros como os jornais “Valor Econômico” e “O Globo”. Conquistou o Prêmio Libertas no XXII Fórum da Liberdade, realizado em 2009. Tem vários livros publicados, entre eles: "Privatize Já!" e "Esquerda Caviar".


Diretor-Presidente

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Lucas Berlanza é carioca, editor dos sites “Sentinela Lacerdista” e “Boletim da Liberdade” e autor dos livros "Lacerda: A Virtude da Polêmica" e “Guia Bibliográfico da Nova Direita – 39 livros para compreender o fenômeno brasileiro”.

Vice-presidente

É advogado formado pela UCAM em 2006. Pós graduado em Processo Civil pela mesma universidade, possui MBA em Direito Civil pela FGV-Rio. É advogado do Sind-Sistema (Sindicato do Sistema Penitenciário do Rio de Janeiro). Atua no movimento liberal desde 2013 e é fundador do Advogados Pela Liberdade.


Designer

Diego Reis é antropólogo e designer gráfico. Especializado em branding e Mestre em Ciências Sociais.

Nossa História

Donald Stewart Jr.

O Instituto Liberal foi criado por Donald Stewart Jr. no Rio de Janeiro em 1983. Sua expansão se deu através da criação de institutos análogos em diversas capitais brasileiras, sucedida pela constituição de núcleos municipais no interior dos diferentes estados, filiados aos respectivos Institutos das capitais estaduais e de acordo com o princípio federativo.

O trabalho inicial do Instituto se concentrou por algum tempo na tradução, edição e publicação de livros e panfletos, já que eram muito poucos os textos sobre liberalismo existentes no Brasil. O Instituto publicou pela primeira vez no Brasil obras de diversos autores internacionais, como os ícones da Escola Austríaca de Economia Ludwig von Mises e Friedrich Hayek, o francês Frédéric Bastiat e a russo-americana Ayn Rand, entre muitos outros. Também publicou pensadores nacionais, como Alberto Oliva e Ricardo Vélez-Rodríguez.

Simultaneamente, o IL passou a promover palestras, colóquios e seminários. Professores, especialistas e intelectuais de diversas áreas do pensamento tomaram parte nas fileiras que vêm contribuindo para a realização desse trabalho. Dessa equipe, um dos mais dedicados e valorosos colaboradores foi o professor Og Leme, que integrou os quadros do Instituto Liberal até setembro de 2003. Personalidades clássicas da história do liberalismo nacional, como Meira Penna, José Guilherme Merquior e Roberto Campos, participaram diretamente das atividades e reflexões do instituto, marcando sua trajetória pioneira.

Os Institutos Liberais se regiam por estatutos idênticos, mas desenvolviam ações autônomas, cada um buscando sua vocação e a melhor forma de divulgar as vantagens do liberalismo. Suas atividades eram coordenadas por um Conselho Nacional e mantinham fidelidade a uma declaração de princípios, subscrita por cada IL quando se constituía e se filiava ao Conselho.

Posteriormente, os ILs foram sendo reincorporados ao IL do Rio de Janeiro, embora o IL do Rio Grande do Sul tenha sido transformado em Instituto Liberdade, sendo até hoje um grande parceiro do Instituto Liberal. Além do Instituto Liberdade, vale citar um parceiro de longa data do IL no mesmo Estado, o Instituto de Estudos Empresariais.

A partir de 2007, a semente plantada pelo trabalho de décadas do IL gerou formidáveis frutos, com a criação de diversos outros institutos autônomos em defesa da liberdade, como o Instituto Mises Brasil, os Institutos de Formação de Líderes, o Instituto Millenium, o Instituto Liberal do Nordeste, o Instituto Ordem Livre e o Estudantes pela Liberdade, todos parceiros institucionais do IL.

A partir de 2013, uma nova gestão, sob a liderança do economista Rodrigo Constantino, presidente do Conselho Deliberativo do instituto desde então, e do advogado e professor universitário Bernardo Santoro, primeiro presidente da diretoria executiva nessa nova fase, renovou os quadros do IL com o propósito de adaptar a instituição aos desafios impostos por uma nova geração de tecnologia audiovisual, adaptando o histórico material produzido às novas mídias digitais.

O instituto passou a desenvolver, com um grande time de colunistas e publicações constantes, representando diferentes escolas dentro do espectro do liberalismo, uma avaliação quase diária dos acontecimentos que chamam a atenção do noticiário e da sociedade. Esse trabalho foi seguido sob a presidência da diretoria executiva conduzida por Roberto Gomides, sucedido para a gestão 2018-2020 pelo jornalista e escritor Lucas Berlanza, colunista da instituição desde 2014.