Os brasileiros exigem explicações do BNDES sobre o Porto de Mariel em Cuba

Sejamos claros: é intolerável, para dizer o mínimo, o silêncio da direção atual do BNDES. Sejamos claros: o BNDES precisa explicar a sociedade brasileira os motivos de ter usado mais de 600 milhões de dólares para financiar um porto em Cuba. Sejamos claros: não basta a direção atual do BNDES dizer que tal empréstimo foi […]

Sejamos claros: é intolerável, para dizer o mínimo, o silêncio da direção atual do BNDES.

Sejamos claros: o BNDES precisa explicar a sociedade brasileira os motivos de ter usado mais de 600 milhões de dólares para financiar um porto em Cuba.

Sejamos claros: não basta a direção atual do BNDES dizer que tal empréstimo foi feito na gestão anterior. TODOS os dados e pormenores relativos a esse empréstimo precisam ser esclarecidos a sociedade.

Aqui segue a notícia no O GLOBO: Lula pressionou BNDES a aprovar financiamento de porto em Cuba, diz Emílio Odebrecht

Coloque as palavras Odebrecht, BNDES e Cuba no Google e você verá o tamanho do escândalo. Então pergunto: quando é que o BNDES irá prestar esclarecimentos a sociedade? Quando é que o BNDES fará uma comissão interna para indicar os envolvidos e punir os que participaram desse escândalo? Quando é que o BNDES irá liberar TODOS os documentos referentes a essa transação?

Em 24 de setembro de 2014 ingressei na justiça federal para ter acesso aos documentos referentes ao financiamento providenciado pelo BNDES para a construção do Porto de Mariel em Cuba. Esse dinheiro é dinheiro público, e portanto se sujeita ao princípio da transparência.

No dia 19 de setembro de 2016 o juiz acolheu meu pedido. Contudo, a defesa do BNDES interpôs embargos de declaração com efeitos infringentes. O que me impediu de ter acesso a esses documentos até nova sentença do juiz.

No dia 10 de março de 2017 o juiz rejeitou os embargos. Tal decisão me daria o direito de ter aceso aos documentos secretos referentes ao financiamento providenciado pelo BNDES a Odebrecht para a construção do Porto de Mariel em Cuba.

Adivinhem o que aconteceu??? No dia 04 de abril de 2017 a Advocacia Geral da União interpôs recurso de apelação. Esse procedimento, uma vez mais, evita que eu tenha o direito de ter acesso a documentos referentes a empréstimos realizados com recursos públicos. Agora é necessário aguardar mais outra decisão para ver se terei direito a saber o que o BNDES fez com recursos públicos.

Pergunto honestamente a diretoria atual do BNDES: vocês consideram isso justo? Por que recorrer da decisão? Por que, uma vez mais, tentar evitar que o público tenha acesso a documentos de empréstimo realizados com recursos públicos? Honestamente, creio que a diretoria atual do BNDES deva explicações a sociedade.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal e Adolfo Sachsida no Patreon!